Com o tema: “Um tempo novo também chega ao campo”, o I Seminário de Segurança Alimentar e Nutricional, ação organizada pela Secretaria de Assistência Social e do Trabalho (Semast), aconteceu nesta quinta-feira (10), no Centro Administrativo da Prefeitura Municipal (antigo Lar Imaculada Conceição), Centro Histórico de São Cristóvão, reunindo trabalhadores da agricultura familiar e as participações de representantes das pastas municipal da: saúde, educação e secretaria especial de agricultura. Para complementar o evento, uma feira de produtos orgânicos foi montada contando com produtos dos assentamentos: Rosa Luxemburgo, Florestan Fernandes, Carlos Lamarca, Novo Horizonte e povoado Cabrita.


Segundo a diretora de planejamento da Semast, Elaine Barroso (que na ocasião representou a secretária Fernanda Santana), o I Seminário de Segurança Alimentar e Nutricional representa os primeiros passos da gestão do prefeito Marcos Santana no sentido de implantar uma política de abordagem do tema envolvendo toda a sociedade sancristovense. "Nosso desejo é que essas temáticas, iniciadas hoje, sejam intersetoriais e que essa discussão se propague para o cotidiano das pessoas. Não estamos apenas discutindo o alimento e seu valor nutricional, mas a segurança deste consumo e a relação com a nossa saúde e o nosso desenvolvimento. O seminário tem o papel de levantar esta temática e disseminar tais informações para o âmbito social. A comida precisa ser fonte de saúde e não de doenças”, pontuou.


As temáticas citadas acima são referentes às questões ligadas diretamente com a produção, colheita e transporte dos alimentos produzidos no município, e de como essa relação precisa ser estabelecida dentro de normas de segurança, e com todos os protocolos administrativos estabelecidos, para o caso de comercialização dos produtos entre agricultores familiares e a gestão municipal. “Estamos colocando em prática as ideias do plano de governo do prefeito Marcos Santana. Parabenizamos à Semast pela iniciativa de juntar as secretárias de saúde, educação e nós da agricultura. Também é preciso enfatizar que os pequenos agricultores precisam se organizar para formalizar a documentação necessária, transformando-se em comerciantes legalizados, no tocante às questões que permeiam a relação de compra e venda com o município. Para o alimento chegar à mesa é preciso se pensar em todo esse processo, que se inicia com o plantio, passando pela colheita e se encerra no consumo”, pontuou o secretário especial de agricultura de São Cristóvão, Carlos Tadeu Rosa, que na ocasião palestrou também sobre agrotóxicos e os perigos do uso. “É necessário pensar na produção de orgânicos para tornarmos nossos pequenos agricultores referência dentro do estado”.


Segundo o vereador Vanderlan Dias Correia, presidente da Câmara dos Vereadores, a implantação de segurança alimentar dentro do município é algo que merece ser enaltecido. “Em nome dos demais vereadores agradecemos o convite para integrar o I Seminário de Segurança Alimentar e Nutricional. Vejo que estas são boas ações que estão sendo plantadas agora, pelo prefeito Marcos Santana, com a visão de melhorar a relação do povo sancristovense com a comida”, disse.


O seminário trouxe uma fala da nutricionista da Semast, Sarah Santos, sobre a manipulação de alimentos para a comercialização. “É preciso ter consciência que a contaminação pode acontecer em qualquer etapa do processo, indo da hora do plantio, e pincipalmente da colheita, até o momento da manipulação. Passamos algumas dicas de como minimizar esse problema, usando, por exemplo, o álcool 70% para limpar os utensílios usados na hora de colher os alimentos”, explicou.


Já Andréa Magalhães, nutricionista da secretaria Municipal de Educação, trouxe mais detalhes da formalização dos acordos contratuais entre a Prefeitura de São Cristóvão, através da compra de alimento escolar oriundo dos agricultores. “Sabemos que nem tudo que é produzido servirá para a aquisição destinada à merenda escolar, porém, os produtos que se encaixem na lista de aquisição, antes de qualquer coisa necessitam de certificados, que tenham toda a parte legal da documentação regularizada. Os agricultores que ainda não estão inseridos neste processo terão nossa ajuda para entender melhor como proceder, e também poderão fazer acordos com associações e cooperativas existentes, que facilitem essas negociações”, disse.


Para Jânio dos Santos, que participou do seminário acompanhando a comitiva do Acampamento Emília Maria, a iniciativa da prefeitura em tocar no assunto da segurança alimentar, abrindo o olhar para questões da relação entre a gestão municipal e o pequeno agricultor familiar foi um ponto positivo para os pequenos agricultores. “Estamos participando deste evento e de tantos outros com o intuito de estreitarmos os laços que permitam distribuirmos nossos produtos, comercializá-los. Estar aqui significa que hoje temos condições de produzir e vender nossos produtos e isto tem muita importância para todos nós. Todo aprendizado adquirido vem acrescentar mais respaldo ao nosso dia-a-dia”, finalizou.


A diretoria da Semast encerrou I Seminário de Segurança Alimentar e Nutricional anunciando a adesão de São Cristóvão ao projeto “Feira da Agricultura Familiar”, ação coordenada pela Secretaria de Estado da Mulher, Inclusão e Assistência Social, do Trabalho e dos Direitos Humanos (Seidh).

Fotos: Márcio Garcez.


Elaine Barroso
Carlos Tadeu Rosa
Vanderlan Dias Correia
Jânio dos Santos entre os companheiros do Acampamento Emília Maria