Como parte das celebrações ao Dia Internacional dos Museus, comemorado nesta quinta-feira, 18 de maio, o Museu de Arte Sacra de São Cristóvão abriu a exposição “Silêncio”, enaltecendo a obra da artista plástica sancristovense, Vesta Viana (falecida em janeiro deste ano). Na sala reservada à pintora, os visitantes encontrarão 15 obras (de acervo particular e familiar) e algumas cartas retratando a amizade da artista com os escritores, Jorge Amado e Zélia Gattai. A exposição ficará aberta ao público até o próximo dia 10 de junho, de terça a sábado (das 10h às 16h) e no domingo (das 9h às 13h). O museu não funciona às segundas-feiras. O valor do ingresso é R$ 5 (inteira) e R$ 2,50 (meia-entrada). A expografia de “Silêncio” foi assinada pelo artista plástico e designer de interiores, Jorge Luiz Barros.  

De acordo com a curadora do Museu de Arte Sacra, Sayonara Viana, a exposição com a obra de Vesta Viana está inserida no contexto das ações que vêm acontecendo durante a 15ª Semana dos Museus, que este ano tem como tema: Museus e Histórias Controversas – Dizer o Indizível. As comemorações acontecerão até o próximo dia 21 deste mês, com inúmeras atividades nos museus localizados dentro da cidade.

“Trouxemos obras que foram pintadas por Vesta, datadas da década de 70 até o ano de 2015 (quando ela parou de produzir suas telas). Conseguimos reunir quadros de acervo particular e algumas peças foram cedidas pela família da pintora. A exposição tem a importância de reviver o trabalho dela, que possuía bastante conhecimento das coisas de São Cristóvão. Através da técnica naïf (que possui como característica traços ingênuo de pintura), ela retratou casarões, festas tradicionais (como Senhor dos Passos), tradições culturais e aspectos da sociedade. Muito da história de São Cristóvão morreu quando Vesta faleceu, no início deste ano. Por este motivo resolvemos dar o nome “Silêncio” para a exposição, representando esse vazio deixado por ela em nossa cultura”, pontuou Sayonara.

Para Mariana Viana, sobrinha da artista, a exposição tem a importância de não deixar se apagar a obra e a vida de Vesta. “Ela vivia para a pintura, tirava de sua arte o seu meio de sobrevivência. Na reunião das obras aqui expostas, pude conferir também dois quadros, que pertencem a acervo de particulares, mas que eu ainda não tinha visto. Sempre é muito emocionante ver trabalhos feitos por minha tia”, disse.

Jorge Amado

Também dentro da exposição “Silêncio”, o público poderá ler cartas trocadas entre Vesta Viana e os escritores, Jorge Amado e Zélia Gattai. “Vesta tinha todas as obras de Jorge e Zélia, e trocava correspondências constantemente com eles. Era amiga da família e quando Jorge Amado morreu, Zélia enviou uma carta comunicando o fato à amiga sancristovense. Sempre que Jorge Amado passava por Sergipe vinha visitar Vesta aqui em nossa cidade”, contou a curadora.

Informações extras

- O Museu de Arte Sacra é gratuito para escolas públicas e também para pessoas acima dos 60 anos.
- Nenhum quadro da exposição “Silêncio” está à venda, porém, a família de Vesta Viana ainda possui cinco obras deixadas por ela e que poderão ser comercializadas. Para mais informações, ligar no telefone (79) 98843-6920 (falar com Mariana Viana de Souza).
- As fotos desta matéria foram clicadas por Danielle Pereira. Já a foto de Vesta Viana foi retirada do www.tce.se.gov.br que creditou a origem da imagem ao site www.laranjeiras.com.